Construindo Pontes

Assim como a maioria das pessoas da minha idade, eu uso o meu telefone para praticamente tudo. O único momento que não uso é quando estou no trabalho. Cerca de um ano atrás, meu trabalho me levou a uma escola no centro da cidade, na qual cada aluno tinha passado por uma ou várias experiências traumáticas.

Devido à forma como o trauma afeta as mentes jovens, a escola enfatizou a construção de relacionamentos por meio de atividades. Uma atividade da qual sempre me lembrarei foi a construção de pontes de picolé. Como cuidadora, meu trabalho é garantir que elas se interessem pelas atividades. Mas naquele dia, motivá-las foi difícil. Sabe, alguns desses adolescentes não só tiveram um trauma passado, mas ainda estavam enfrentando situações fora de seu controle. Eles estavam lutando contra a ansiedade. Por isso, só de pensar em fazer este projeto foi estressante. E como eu também não sou muito boa com as minhas mãos, a atividade seria um desafio para todos nós.

Embora essa atividade tenha acontecido há algum tempo, ainda me esforço para construir pontes. Eu olho para a garotada com quem trabalho e eu estou admirada com a disposição deles de serem apenas “crianças”, não importa o que a vida lhes traga. Eu também estou ciente de que eles estão lutando contra depressão, trauma ou pensamentos de suicídio. Me pego questionando como posso construir uma ponte para alcançá-los. Como posso oferecer esperança quando eles estão tão decepcionados? O que significa estender o amor quando eles temem a rejeição? Como faço para criar um lugar seguro para eles quando eles estão constantemente na defensiva?

É incrível o que você pode aprender ao ficar preso em uma sala cheia de palitos de picolé e adolescentes desmotivados. Eu aprendi que construir pontes de picolé é muito parecido com a criação de espaço para conversas mais profundas. Veja o que a garotada me ensinou sobre a construção de pontes para alcançá-los:

Construir Pontes Requer Paciência
Obras arquitetônicas não acontecem da noite para o dia e nem relacionamentos de confiança. Construir ambientes seguros para adolescentes que sofreram traumas exige tempo e paciência. É fácil nos sentirmos desanimados quando os relacionamentos não se desenvolvem tão rápido quanto queremos. Ainda assim, devemos aprender a aceitar que algumas coisas na vida não têm atalhos. Se quisermos construir relacionamentos profundos e estender o amor, devemos nos lembrar de que o amor é paciente. Pode levar muito tempo para aqueles que ficaram desapontados para construir a coragem de confiar novamente.

Construir Pontes Requer Investimento
Meu trabalho envolve brincar com eles o dia todo. Brincar com adolescentes é uma forma de investimento. Quando você se encontra com um garoto para jogar basquete, conversa sobre videogames, ajuda com tarefas de matemática ou come pizza, você demonstra que o valoriza o suficiente para investir tempo nele. Meu trabalho com jovens traumatizados pode se tornar física e emocionalmente desgastante. Ainda assim, depois de um longo dia, eu nunca me arrependo de ter tempo para mostrar a eles que são pessoas que valem a pena conhecer. Em um mundo onde a juventude anseia se sentir valorizada, pode ser uma mudança de vida encontrar pessoas dispostas a investir em suas vidas.

Pontes devem ser cruzadas
Todos os adolescentes têm perguntas e estão procurando respostas. Eu descrevi meu trabalho com jovens que enfrentaram traumas, mas esses princípios podem ser aplicados a todos aqueles que lutam contra a ansiedade. Se você construiu pacientemente relacionamentos e investiu neles, as pessoas podem vê-lo como uma pessoa segura para conversar. Quando os adolescentes se sentem seguros o suficiente para expressar sua dor, nossa responsabilidade é ouvi-los e apontá-los para a esperança. Isso significa dar o primeiro passo pela ponte e ter conversas mais profundas por meio do Voke.

Construir pontes para qualquer adolescente requer paciência, investimento e iniciativa para falar sobre os problemas. E se eu lhe disser que o Voke é a ferramenta que abraça perfeitamente esses princípios? O Voke exige que eu reserve um tempo para assistir a um vídeo, enviá-lo e aguardar uma resposta. Vendo este aplicativo no meu telefone é um lembrete diário da importância de investir em uma vida diferente da minha. E as perguntas de acompanhamento fornecidas no aplicativo me permitem iniciar conversas mais profundas. É por estas razões que o Voke é uma ferramenta de grande valor para aqueles que querem se envolver significativamente com a juventude.

Naquele dia estressante na sala de aula, a questão que me passou pela cabeça foi: “Senhor, como vou ajudar essa garotada a construir pontes?” Acredito que o Voke é parte da resposta a essa pergunta. Quando você pacientemente construiu relacionamentos com os jovens, relacionamentos nos quais você investiu, tudo o que resta agora é compartilhar uma mensagem importante.

Amigos, agora é a hora de construir pontes para a juventude. Agora é a hora de começar a usar o aplicativo Voke!

If you enjoyed this blog, you might like these related blogs too:

Leave a Comment